Susana Sousa: «O sorriso é o nosso cartão de visita e com esta oportunidade vou melhorar a minha vida»

Susana Sousa é a primeira paciente do programa Sorrisos Felizes e Contagiantes – programa solidário de saúde oral para a empregabilidade, uma iniciativa de responsabilidade social da Smile.up em parceria com a Cruz Vermelha Portuguesa. Susana tem 42 anos, trabalha num restaurante, tem uma vida pessoal feliz e uma vida profissional bloqueada por questões de dentição deteriorada. Com esta intervenção, Susana vai mostrar o sorriso sem vergonha e sentir-se finalmente completa. Fomos conhecer a sua história!

Susana, conte-nos o que faz e como é que a sua boca, no estado em que está, é uma limitação.

Sou empregada de mesa num restaurante em Alcântara, ou seja, tenho contacto com o público, com os clientes. E tenho a boca extremamente deteriorada, o que não me deixa confortável a falar com as pessoas, a dirigir-me às pessoas. Sou uma pessoa extremamente bem-disposta e muitas vezes tenho de colocar a mão à frente da boca, por vergonha, porque acho que não é bonito, nem ninguém gosta de ver uma pessoa praticamente desdentada. O sorriso é quase o cartão de visita da pessoa e não me sinto bem, não me sinto confortável.

Com a sua boca tratada e o sorriso restaurado a situação profissional pode melhorar?

Sim, com a boca saudável e o sorriso bonito a oportunidade de subir dentro do meu local de trabalho poderá ser uma hipótese. Não tenho problemas com o meu trabalho, a questão da minha aparência é que acaba, se calhar, por ser um entrave. Com um sorriso novo há muitas hipóteses de poder subir mais um “degrauzinho”.

Qual é a expectativa do seu marido e dos seus filhos para esta intervenção?

Os meus filhos e o meu marido estão tão empolgados quanto eu. Quando somos, por natureza, uma pessoa sorridente, estas limitações fazem-nos quebrar um bocadinho o ânimo. Mas acho que vai correr tudo bem, vai ser muito bem aceite e eles vão ficar muito felizes. Sem dúvida nenhuma que a minha família vai ficar mesmo muito feliz.

Como é que foi selecionada pela Cruz Vermelha?

A Cruz Vermelha foi uma oportunidade que me deram, de poder ter este “prémiozinho” que é aquilo que eu mais queria. Sempre quis recuperar os meus dentes e o meu sorriso, mas infelizmente tal não era comportável economicamente.  Houve alguém da Cruz Vermelha que se apercebeu disso e fez com que eu tivesse esta oportunidade. Infelizmente essa pessoa já cá não está, estou-lhe muito grata.

Já tinha sentido que não ter dentes é uma limitação séria na sua vida, mesmo fora do trabalho?

Sim, ter falta de dentes é uma limitação, claro que sim, em todos os aspetos. O sorriso é um cartão de visita da pessoa, a boca é um espelho de saúde, tanto no aspeto físico como psicológico. Nem sei o que dizer: acho que uma pessoa sem dentes, ou com a falta dos dentes, não consegue desenvolver qualquer tipo de autoestima.

Susana Sousa - Sorrisos Contagiantes